Milhares de pessoas protestam a favor da Palestina em Amã, na Jordânia, em 13 de outubro de 2023 — Foto: Alaa Al Sukhni/REUTERS

Milhares de pessoas protestam em todo o mundo contra os bombardeios de Israel a Gaza

Em Londres, 200 mil pessoas foram às ruas da cidade em apoio à Palestina.

Dezenas de milhares de pessoas saíram às ruas em todo o mundo em apoio ao povo palestino enquanto Israel se prepara para uma possível invasão terrestre da Faixa de Gaza.

Os manifestantes se insurgem contra os bombardeios de Israel, que fizeram, até agora, pelo menos 2.215 vítimas no enclave de 362 km2, onde vivem mais de dois milhões de pessoas.

Governada pelo Hamas desde 2007, Gaza tem sido alvo de mísseis desde o último sábado, quando militantes do movimento islâmico realizaram uma ofensiva armada contra a ocupação colonial, resultando em 1.300 mortes do lado israelense.

Na manhã deste sábado (14), uma gigantesca marcha tomou o centro de Londres, com manifestantes agitando bandeiras palestinas e cartazes dizendo “Palestina Livre”. A concentração ocorreu perto de Oxford Circus, de onde planejavam seguir para Downing Street, a residência oficial e escritório do primeiro-ministro britânico Rishi Sunak. Os cantos foram dirigidos aos governos da e dos Estados Unidos por apoiarem Israel.

O estudante Belal Stitan, de 22 anos, um dos presentes no ato, declarou à agência de notícias Reuters pelos seus familiares em Gaza:

“Ninguém em Gaza está bem. Minha família está toda em Gaza e nenhum deles está bem”, disse ele, acrescentando que queria voltar a poder falar com seus primos sobre coisas normais, como futebol e como eles nos levavam para a escola. “Esta situação é um grande, grande problema para a humanidade e preciso dizer ao mundo, lembre-se que somos seres humanos…, não posso acreditar que estamos aqui.”

No início da manhã, a sede da emissora BBC, localizada perto do início da marcha, foi pintada de vermelho.

Nos Estados Unidos, comícios pró-Palestina foram planejados para sexta-feira e durante o fim de semana em cidades como Nova York, Washington, Los Angeles, e Pittsburgh. Manifestações com essa mesma pauta também tem sido registradas em países dos cinco continentes, como Suiça (em frente à sede europeia das Nações Unidas), Espanha, Holanda, Finlândia, México, Venezuela, África do Sul, Austrália e Japão, além de, é claro, em diferentes pontos do Oriente Médio, região em que se dá o conflito.

Em Paris, um foi realizado na Praça da República mesmo com uma ordem contrária do ministro do Interior, Gérald Darmanin, que proibiu nesta 5ª feira (12.out) manifestações pró-Palestina em toda a com a alegação de que os atos seriam “suscetíveis a gerar perturbações na ordem pública”.

Em vídeos publicados nas redes sociais, um jovem afirma que a usou canhões de água e granadas de gás lacrimogêneo para tentar dispersar o ato. “A polícia intensificou as manobras com cargas, uso de granadas de gás lacrimogêneo e canhões de água para evacuar a Praça da República”, declarou.

Circula também no X (antigo Twitter) um vídeo sobre uma manifestação em Oxford, na Inglaterra. De acordo com uma usuária, as imagens são desta 5ª feira (12.out) e o ato teve o objetivo de protestar “contra o genocídio das pessoas da etnia árabe por Israel”.

“Não à ocupação! Não aos Estados Unidos!”

Em Bagdá, grandes multidões lotaram a Praça Tahrir, no centro da capital iraquiana, para protestos convocados pelo influente líder xiita Muqtada al-Sadr.

“Não à ocupação! Não aos Estados Unidos!”, gritaram os manifestantes no centro da capital iraquiana, reportou um jornalista da Agência France Press. “Esta manifestação visa condenar o que está acontecendo na Palestina ocupada, o derramamento de sangue e a violação dos direitos”, declarou Abu Kayan, um dos organizadores do evento.

Em Kuala Lumpur, na Malásia, cerca de 1.000 fiéis protestaram após as orações de sexta-feira, para mostrar solidariedade aos palestinos. Gritando “Palestina Livre” e “Esmague os Sionistas”, eles queimaram duas efígies cobertas com bandeiras israelenses.

Uma bandeira israelense também foi incendiada, junto com outra dos EUA, em Carachi, maior cidade do Paquistão. “A mídia internacional e os tribunais internacionais fecham os olhos às injustiças com os palestinos. Eles apenas notam as ações que os palestinos tomam para se defenderem”, disse Faheem Ahmed, um dos participantes do ato a repórteres da agência Associated Press. “Eles chamam isso de terrorismo.”

Milhares de manifestantes pró-Palestina reuniram-se no centro de em 12 de outubro, mesmo depois de o governo francês proibir os protestos em apoio à Palestina — Foto: Reuters
Manifestantes em apoio aos palestinos na Times Square, Nova York, em 13 de outubro de 2023 — Foto: AFP
Em Amã, na Jordânia, milhares de pessoas protestam em solidariedade aos palestinos — Foto: Alaa Al Sukhni/Reuters
Istambul, na Turquia, milhares de pessoas protestam em solidariedade à Palestina — Foto: Murad Sezer/Reuters
Manifestantes em apoio ao povo palestino em Caracas, Venezuela — Foto: Miquel Gutierrez/EPA
Manifestação em apoio aos palestinos em Canberra, Austrália — Foto: Mick tsikas/EPA
Uma visão geral do grande em Bagdá, Iraque — Foto: Ahmed Saad/Reuters
Manifestantes participam numa manifestação de apoio aos palestinos em frente à sede europeia das Nações Unidas, em Genebra, na Suíça — Foto: Marcial Trezzini/EPA
Uma mulher segura uma faixa que diz ‘Liberte Gaza’ em uma manifestação pró-Palestina realizada em frente à embaixada de Israel na Cidade do México, México — Foto: Daniel Cárdenas/Anadolu
Um grupo de estudantes de diferentes universidades realiza uma manifestação em solidariedade aos palestinos em Haia, na Holanda — Foto: Mouneb Taim/Anadolu
Um homem segura uma bandeira palestina em um comício em apoio aos palestinos em Jacarta, na Indonésia — Foto: Mast Irham/EPA
Pessoas participam de manifestação em apoio aos palestinos no monumento a Cristóvão Colombo, em Barcelona, Espanha — Foto: Toni Albir/EPA
As pessoas também saíram às ruas de Colombo, no Sri Lanka, para protestar contra o bombardeio de Israel em Gaza — Foto: AP
Milhares de pessoas protestam em apoio aos palestinos em Helsinque, Finlândia, em 13 de outubro de 2023 — Foto: Reuters

Mídia1508

A 1508 é um coletivo de jornalismo independente anticapitalista, dedicado a expor as injustiças sociais brasileiras e a noticiar as mobilizações populares no Brasil e no mundo.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Últimas Notícias