Caso Zaira: sargento da PM mata universitária, após estuprá-la duas vezes no Rio Grande do Norte

3 mins read
Imagem: Reprodução

A universitária Zaira Dantas Silveira Cruz, 22 anos, vítima de no Rio Grande do Norte, foi estuprada duas vezes pelo sargento da PM, Pedro Inácio Araújo de Maria, de 36 anos, antes de ser assassinada por ele. O crime que culminou na morte da estudante aconteceu após encontro com o policial em Caicó, no Seridó Potiguar, no dia 2 de março. As informações são do inquérito da Civil sobre o caso.

De acordo com Leonardo Germano, delegado responsável pela investigação, Zaira já havia sido estuprada em agosto de 2018 por Pedro Inácio. A acusação, apesar de não ter sido feita formalmente na época, foi descoberta por relatos de amigos.

O segundo aconteceu após Pedro Inácio ter tentado fazer sexo com Zaira, no sábado de carnaval. Após receber uma negativa da moça, ele a violentou e matou. O corpo foi encontrado na mesma noite, de bruços, no banco de passageiros do carro do policial.

“A estudante apresentava lesões no cérebro, nos olhos e pulmões. Além disso, dedos e lábios cianóticos (roxos). Essas características são bem contundentes para asfixia mecânica por estrangulamento”, esclareceu o diretor do Instituto Técnico e Científico de Perícia (Itep-RN), Marcos Brandão. Ele informou ainda que Zaira também sofreu uma lesão no braço direito, uma fratura no dente e tinha uma marca de sapato na perna.

O assassino está preso desde o dia 15 de março no Quartel da Militar, em Natal. Ainda segundo a Polícia Civil, ele negou as acusações no primeiro interrogatório. No segundo, permaneceu em silêncio.

Zaira Cruz era natural de Currais Novos, onde o PM era lotado, e estudava engenharia química na Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa). Depoimento de testemunhas dão conta de que os dois mantinham um relacionamento casual, com encontros esporádicos.

Mãe da vítima, a esteticista Maria Ozanete, de 53 anos, clama por justiça:

“O que fizeram com ela? Simplesmente, mataram a minha filha. Mataram ela! Além de quererem abusar, mataram. Tem que ser feita justiça”, declarou.

Mídia1508

A 1508 é um coletivo de jornalismo independente anticapitalista, dedicado a expor as injustiças sociais brasileiras e a noticiar as mobilizações populares no Brasil e no mundo.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Últimas Notícias