Greve dos Garis: trabalhadores marcham da Comlurb à Prefeitura e se juntam ao ato da saúde e educação

Os grevistas exigem uma resposta da Comlurb e da Prefeitura que, até o momento, ignoram os trabalhadores com propostas insignificantes.

Garis durante a caminhada da Comlurb, na Tijuca, até a Prefeitura do Rio, no centro da cidade — Foto: Bárbara Dantas

Nesta quarta-feira (06), os e as trabalhadoras se concentraram em frente à sede da Comlurb (Companhia Municipal de Limpeza Urbana), na rua Major Ávila, na Tijuca, Zona Norte do Rio de Janeiro, em mais uma atividade da greve.

Os grevistas exigem uma resposta da e da Prefeitura que, até o momento, ignoram os com propostas insignificantes.

Os estão em greve por melhores condições de trabalho e pelo reajuste salarial, corroído pela inflação. A Prefeitura de Eduardo Paes não cumpre o acordo coletivo e não há reajuste desde 2019, com uma perda salarial de até 20%. Questionam a mudança do plano de saúde, alterado por Eduardo Paes, que piorou o atendimento aos cortando vários serviços básicos de atendimento à saúde.

Há uma denúncia grave de que a mudança para o Plano de Saúde Klini levou uma trabalhadora à morte. Segundo trabalhadoras da Comlurb, ela estava fazendo um tratamento e com o novo plano, sem a mesma cobertura do anterior, não conseguiu concluir.

A categoria exige 35% de aumento e melhores condições de trabalho. Nova licitação para um plano de saúde que atenda a categoria e renovação e implementação de todas as cláusulas do acordo coletivo de forma linear.

Os foram recebidos na prefeitura do Rio de Janeiro, na Cidade Nova, por professores e da saúde municipal que também protestavam contra o governo de Eduardo Paes.

Momento em que os chegam à Prefeitura do Rio — Foto: Rafael Daguerre

Mídia1508

A 1508 é um coletivo de jornalismo independente anticapitalista, dedicado a expor as injustiças sociais brasileiras e a noticiar as mobilizações populares no Brasil e no mundo.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Últimas Notícias