Forças israelenses matam quatro jovens palestinos na Cisjordânia

Durante a operação, pelo menos outros dois palestinos foram presos, um deles após ser baleado na mão e o outro, identificado como Mohammed Abu Zina, depois de ter sido raptado pela repressão sionista dentro de sua própria casa.

3 mins read
Raed Abu Seif, Amjad Hussainiya, Nour Jarrar e Saleh Ammar, mortos a tiros por forças da ocupação israelense, em Jenin, no norte da Cisjordânia — Foto: Quds News Network/Twitter

Quatro jovens palestinos foram assassinados a tiros na manhã desta segunda-feira (16), em uma ação das forças israelenses realizada na cidade de Jenin, no norte da ocupada. As vítimas foram identificadas como Saleh Mohammed Ammar, de 19 anos, Raed Ziad Abu Seif, 21, Amjad Iyad Azmy e Nur Abdelilá Jarrar (estes dois últimos, sem as idades reveladas). De acordo com testemunhas, os corpos de Azmy e Jarrar foram levados pelos agentes de Israel.

Durante a operação, pelo menos outros dois palestinos foram presos, um deles após ser baleado na mão e o outro, identificado como Mohammed Abu Zina, depois de ter sido raptado pela sionista dentro de sua própria casa.

Segundo a agência de notícias Ma’an, horas antes do ataque, um grupo de palestinos havia entrado em confronto com policiais da Musta’ribeen – uma unidade que atua à paisana, geralmente com o objetivo de realizar prisões.

O veículo reporta ainda que os agentes da Musta’ribeen abriram fogo “bem na direção de um grande grupo de jovens” assim que as demais tropas israelenses chegaram ao local. Bombas de efeito moral e de gás lacrimogênio também foram lançadas contra a multidão.

matou mais de 50 palestinos na em 2021

A é um território palestino ocupado por desde 1967 de maneira considerada ilegal pelo direito internacional. De acordo com relatório da Coordenação dos Assuntos Humanitários das Nações Unidas (OCHA), divulgado antes dos quatro assassinatos em Jenin, agentes israelenses já haviam matado pelo menos meia centena de palestinos na região apenas em 2021.

Conforme o documento, somente entre os dias 27 de julho e 9 de agosto, forças de feriram 764 palestinos em protestos na Margem Ocidental ocupada, com munição letal, balas de aço revestidas de borracha e latas de gás lacrimogéneo, lançadas contra “manifestantes que lançavam pedras aos soldados israelitas”.

Destes, 586 foram feridos em protestos contra os assentamentos ilegais em Beita e dez em Beit Dajan, na região de Nablus. Outros 107 foram feridos pelas forças de nos protestos que ocorreram durante o funeral de um rapaz de 11 anos assassinado pelos militares em Beit Ummar.

O organismo das Nações Unidas aponta ainda a existência de mais 95 casos de manifestantes palestinos feridos em Beita quando fugiam das forças israelitas – alguns partiram pernas e braços ao saltarem de lugares altos – e em circunstâncias que não puderam ser verificadas.

Além disso, no mesmo período, as tropas sionistas levaram a cabo 92 operações de busca e captura, tendo detido 115 pessoas na ocupada, incluindo 11 menores.

Mídia1508

A 1508 é um coletivo de jornalismo independente anticapitalista, dedicado a expor as injustiças sociais brasileiras e a noticiar as mobilizações populares no Brasil e no mundo.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Últimas Notícias