Prefeitura toma roupas e cobertores de moradores de rua em São Paulo

O serviço de “ e higienização” da Prefeitura de São Paulo, conhecido como rapa, levou neste sábado (6) roupas, mantas, colchões entre outros pertences, de três moradores de rua que cuidam da praça Chão de Giz, no centro da cidade.

A ação ocorreu na manhã seguinte à madrugada mais fria do ano na capital (a temperatura mínima chegou a 7,4°C). No mesmo dia, um homem foi encontrado morto de frio na região de Itaquera, zona leste paulistana. Foi o terceiro óbito de uma pessoa nessas condições a ser registrado em 24h no município.

Para Alexandre Pinto Martinez, de 43 anos, um dos moradores a ter os seus objetos pessoais subtraídos pelos agentes municipais, a preocupação agora são as noites geladas que se aproximam. ”Fiquei só com a roupa do corpo”, afirma. “Eles levaram até um carrinho de mercado que foi recebido como doação, que a gente usa para carregar água para molhar as plantas”, diz.

“Esperaram os dias mais frios, em pleno sábado, para vir aqui e dizer que tinha um monte de madeira na praça. Chegaram arrastando barraca mochila, ferramentas. Pisaram nos quadros e nas molduras”.

Também morador da praça, João Roberto Silva Temporini, 28 anos, discorda da forma como os funcionários da prefeitura agiram: “Vejo como saqueadores. Levaram só o que interessava para eles. Os cacarecos, eles não quiseram levar”.

“Eu tive que abraçar a televisão, porque queriam levar, assim como o fone de ouvido do Alexandre. Quiseram tomar o balde com pincéis e tinta, tudo novo. Nós ganhamos esse material, foi um voto de confiança das pessoas. A gente pode produzir aqui”, explica.

Mídia1508

A 1508 é um coletivo de jornalismo independente anticapitalista, dedicado a expor as injustiças sociais brasileiras e a noticiar as mobilizações populares no Brasil e no mundo.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Últimas Notícias

1 ano sem Moïse

A mãe de Moïse esteve pela primeira vez no quiosque onde seu filho foi assassinado. Revoltado,…