Nesta quarta-feira, dia 16, profissionais da saúde realizaram um contra a mudança da política de saúde em âmbito federal e o fechamento das Clínicas da Família e o sucateamento do Sistema Único de Saúde (), já que a falta de verbas destinadas à leva o setor rumo ao fim do SUS e a privatização.

O ato unificado dos Hospitais com a ocorreu no Centro do . O que antes era para não fechar as clínicas, agora é contra as mudanças na política de atenção básica que desestrutura o modelo de atenção à saúde e assim a continuidade do cuidado.

A luta pela não redução de equipes como NASF (Núcleo de Apoio a Saúde da Família) e Saúde Bucal, além do número de agentes comunitários de saúde por equipe. Crivella (PRB), prefeito do Rio, reduziu o repasse e cada área deve planejar qual o seu plano de contenção de gastos.

Na prática, isso representa a falta de insumos, medicamentos e materiais básicos de higiene e papelaria. Sem contar os salários atrasados, férias suspensas, vale transporte e alimentação atrasados.

A falta de medicamentos se arrasta desde setembro de 2016, já os salários e repasses dos trabalhadores da saúde desde maio desse ano.

Imagens do ato: