Trabalhadores da limpeza urbana do Rio protestam por melhores condições de trabalho

Para tentar enfraquecer e esvaziar a manifestação, as gerências atrasaram a liberação dos trabalhadores. O sindicato não esteve presente, ação desleal com a categoria que deveria defender, denunciam manifestantes.

Trabalhadores da limpeza urbana do Rio protestam por melhores condições de trabalho nesta quarta (20) — Foto: Reprodução

da Companhia de do Rio de Janeiro (Comlurb) interditaram as principais vias do Centro da cidade, na tarde desta quarta-feira (20), reivindicando melhores condições de trabalho.

Felipe Luther, trabalhador da da cidade há 12 anos, afirma que o grupo deseja o retorno do maquinário de apoio no trabalho, entrega de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e distribuição de materiais necessários para a proteção da saúde dos garis. Melhorias no salário e o cumprimento da medida, determinada em 2015, que prevê que a empresa higienize os uniformes dos trabalhadores, ou que uma empresa seja contratada para fazer a limpeza.

“Nós estamos aqui reivindicando direitos nossos que foram conquistados no decorrer de 2014, mas que nos é negado. Queremos que respeitem as orientações dos médicos que fizeram laudos restritivos para os que vêm adoecendo por falta de maquinário e excesso de trabalho. Pedimos ajuda à população para que tenhamos mudança dentro do nosso quadro de trabalho”, disse Felipe durante uma transmissão ao vivo nas redes sociais.

O contou com mais de 500 garis, e caminhou da Central do até a Prefeitura, no Centro da cidade. Para tentar enfraquecer a manifestação, as gerências atrasaram a liberação dos trabalhadores, e o sindicato também não esteve presente.

Assim que chegaram à frente da Prefeitura, os foram impedidos de entrar. Após fecharem a Av. Presidente Vargas, a Prefeitura voltou atrás e permitiu a entrada de um grupo de manifestantes. Eles protocolaram suas reivindicações junto ao governo municipal.

O prefeito Eduardo Paes tem até o dia 28 para responder, data já marcada de outra manifestação da categoria. Dia 28 de outubro, quinta-feira da próxima semana, os marcaram um novo ato em defesa de seus direitos, por reajuste salarial e outras demandas.

Rafael Daguerre

Fotojornalista/Videorrepórter

Um dos fundadores da Mídia1508. "Ficar de joelhos não é racional. É renunciar a ser livre. Mesmo os escravos por vocação devem ser obrigados a ser livres, quando as algemas forem quebradas" ― Carlos Marighella.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Últimas Notícias