Operação da PM obriga crianças a se jogar no chão para se proteger em Manguinhos

A mãe de uma aluna, que não quis se identificar, reclamou dos tiroteios frequentes. Ela contou que sua filha é parte da turma que aparece na foto, do 3º ano do ensino fundamental.

3 mins read
Alunos se jogam no chão para se proteger dos tiros — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Uma operação da Unidade de Pacificadora (UPP) deixou crianças de uma escola próxima ao Complexo de favelas de Manguinhos, na zona norte do Rio de Janeiro, no meio do fogo cruzado pelo terceiro dia consecutivo nesta quinta-feira (4). Na Escola Municipal Professora Maria de Cerqueira e Silva, que fica na rua Leopoldo Bulhões, crianças precisaram se jogar no chão para se proteger dos disparos.

A mãe de uma aluna, que não quis se identificar, reclamou dos tiroteios frequentes. Ela contou que sua filha é parte da turma que aparece na foto, do 3º ano do ensino fundamental. Lembrou ainda que é dia de provas na rede municipal e que as crianças sequer conseguiram terminá-las. Na foto, é possível ver as avaliações sobre as mesas.

“Os policiais chegam atirando sem nem pensar em nossas crianças que precisam estudar, [helicóptero] águia também atirando a todo para baixo. Isso está ocorrendo a semana inteira! As crianças que já têm dificuldade de aprendizado só pioram, porque isso é o cotidiano”, desabafou.

Alunos se jogam no chão para se proteger dos tiros — Foto: Reprodução/Redes Sociais

A moradora também relatou dificuldades para trazer a filha de volta para casa em segurança. Ela conta que já há uma rotina de cautela por conta da recorrência das ações. Perto dali, há também a Creche Municipal Chico Bento, a 200 metros, e o Espaço de Desenvolvimento Infantil Doutor Domingos Arthur Machado Filho, a 500 metros.

“Assim que começa o tiroteio, somos comunicados e esperamos um pouco para pegar as crianças na escola, que é de frente para rua onde ocorrem os disparos. Assim como hoje, toda semana as crianças ficam jogadas pelo chão da escola pra se proteger. Fui comunicada as 9 e pouca da manhã; às 10 peguei minha filha. No meio do caminho para casa, o águia passou atirando de novo”, recorda.

A página Onde Tem Tiroteio (OTT-RJ) registrou que os disparos começaram por volta das 9h30 e podiam ser ouvidos nas proximidades da localidade Mandela 2. Um vídeo publicado pela página mostra motoristas retornando na contramão da rua Leopoldo Bulhões.

Mídia1508

A 1508 é um coletivo de jornalismo independente anticapitalista, dedicado a expor as injustiças sociais brasileiras e a noticiar as mobilizações populares no Brasil e no mundo.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Últimas Notícias