Uma menina de 6 anos foi baleada dentro de casa durante uma operação do 41º Batalhão de Polícia Militar no Complexo do , na zona norte do Rio, na manhã desta terça-feira (2). Segundo relatos, ela foi atingida por três tiros de fuzil nos braços e pernas. Familiares contaram que ela não foi para a escola para se proteger do tiroteio que acontecia. De acordo com a prima da garota, ela estava dançando balé no quintal, quando foi atingida.

É a segunda vez em dois meses que uma criança é ferida em decorrência de uma incursão do braço armado do Estado na região.  No dia 2 de maio, a estudante Júlia Oliveira Santos, de 13 anos, foi baleada no ombro enquanto ia para a Escola Municipal Levy Miranda, que fica na parte baixa do morro do Chapadão.

O caso de ontem ocorre ainda apenas três dias depois do assassinato pela PM do adolescente Matheus  Rodrigues Monteiro de Oliveira, de 19 anos, na Avenida Chrisostomo Pimentel, também no Complexo.

De acordo com a edição mais recente do Dossiê Criança e Adolescente, lançado em novembro do ano passado pela Instituto de Segurança Pública. as mortes de menores de idade por intervenção policial tem aumentado nos últimos anos.

Em 2017, 365 crianças e adolescentes foram mortos no território fluminense, sendo 104 em ações das forças de segurança, o que corresponde a 28% do total. O número mostra uma tendência de crescimento desde 2011, quando a taxa de homicídios decorrentes de intervenção policial para adolescentes por grupo de 100 mil habitantes que foi de 0,9 para 7,4 no ano retrasado.

Deixe seu comentário: