4KTuMcIjMdY

Dois secundaristas, menores de idade, que participaram de um na escola estadual Frederico de Barros Brotero estão detidos no 1º Distrito Policial de (SP).  Durante a manifestação, ocorrida na noite desta quinta-feira (4), um policial militar chegou a empurrar uma estudante com o cano de uma arma, possivelmente uma espingarda calibre 12. O protesto, que começou por volta das 18h, tinha como objetivo cobrar melhorias para o colégio e a destituição do atual diretor, que desde o início do ano tem impedido os alunos entrarem na segunda aula.

Os secundaristas denunciam ainda que a instituição sofre com a falta de livros e de professores, além de não receber manutenção de infraestrutura adequada. Quando chove é comum as salas de aula, os corredores e os banheiros ficarem alagados.

A direção da escola acionou a polícia para tentar controlar a situação por volta das 19h30.  Indignada, a mãe de uma estudante criticou a medida:

“O diretor não deixa os alunos entrarem na escola caso cheguem atrasados, mesmo os que trabalham! Não tem nenhum tipo de tolerância, abuso de autoridade. Adoraria ver o cartão de ponto desse diretor”

Um vídeo (acima), que circula nas redes sociais, registra a chegada da PM, que forma uma espécie de cordão de isolamento em frente ao portão de acesso do colégio. O policial que empurra a jovem já entra no local com a arma de cano longo em punho, colocando em risco a vida das dezenas de estudantes presentes.

O policial militar então agride a menina repetidas vezes, primeiro com a mão e depois com a arma, revoltando a multidão. Um professor entra na frente para tentar proteger a adolescente do agente, que mantém a arma apontada para os jovens no pátio da escola.

Em janeiro deste ano, o governador de João Dória (PSDB) autorizou todas as equipes de radiopatrulha da Polícia Militar do estado a usar espingardas calibre 12 no atendimento às chamadas do 190. Antes, o emprego esse tipo de armamento, de grande potencial letal, era restrito a operações noturnas.

“Diante de qualquer ameaça à população, risco de morte, risco de ameaça com arma, a orientação da Polícia Militar é imobilizar o bandido. Se ele reagir, ele vai para o cemitério”, declarou Doria, na ocasião.

Deixe seu comentário: