O terrorismo do Estado continua nas favelas cariocas.

O trabalhador ambulante José Carlos de Almeida, de 45 anos, foi assassinado pela polícia na noite desta sexta-feira (20), em , na Zona Norte do . Carlos chegava em casa com o sobrinho de 8 anos e a filha de 5, quando começaram os tiros. O ambulante foi baleado no peito. Ele morreu na hora. O assassinato aconteceu numa rua sem saída, próximo à Avenida dos Democráticos, onde há uma vila de moradores. Carlos foi atingido ainda dentro do carro. Os familiares denunciam que a  polícia foi embora logo após José ser baleado e acusam a PM pelo crime.

José Carlos era casado e trabalhava em um quiosque, do Posto 6, na Praia de Copacabana. Após a morte do ambulante, amigos e parentes de Carlinhos, como é conhecido, fecharam a Avenida Democráticos revoltados com mais um morador assassinado pela polícia na . Os moradores protestaram e protegeram o corpo de José Carlos para que a polícia não alterasse a cena do crime.